Carnaval no Al Janiah - 9 de fevereiro, 23h - São Paulo

qui, 08/02/2018 - 23:07
Publicado em:
0 comments

O bar e espaço cultural Al Janiah, um dos espaços mais populares de São Paulo, traz os grupos Escola de Sampa e Coco de Oyá para animar o Carnaval, nesta sexta-feira, 9 de fevereiro. A noite vai contar com o DJ Henrique Coelho.

O Carnaval continua com muita marchinha de outros pré-carnavais.

Serviço:

Carnaval no Al Janiah

9 de fevereiro, sexta-feira, das 23h até sábado, às 4h da manhã

Entrada R$ 15.00
Lista amiga R$ 10.00 escoladesampa@gmail.com 
Aceita cartões e dinheiros. 
 

Sobre os grupos:

ESCOLA DE SAMPA
É um Coletivo de músicos especializados em interpretar manifestações da cultura brasileira, tais como as
festas juninas, as culturas tradicionais, o samba e, especialmente, o carnaval.
No repertório o grupo vai fazer o chão tremer com marchinhas clássicas como Ô ABRE ALAS (Chiquinha Gonzaga), TAÍ (Joubert de Carvalho), A JARDINEIRA (Benedito Lacerda e Humberto Porto), BALANCÊ (João de Barro e Alberto Ribeiro), CACHAÇA (Mirabeau, Lucio de Castro e Heber Lobato); frevos como EVOCAÇÃO Nº 01 (Nelson Ferreira) e FREVO E
CIRANDA (Capiba) e Carimbós como SINHÁ PUREZA
(Pinduca).

VOZ - Zimhber
SAX - Marcelo Monteiro
TRUMPETE - João Drescher
TROMBONE - Paulo Negret
VIOLÃO 7 e GUITARRA - João Nepomuceno
CAVACO e VOZ - Pedro Cury
PERCUSSÃO e VOZ - Rafa Nepomuceno
PERCUSSÃO - Wellington Tibério

Produçao - Thais Campos

COCO DE OYÁ
Oyá, orixá dos ventos e das tempestades, é nossa homenageada. Guerreira de energia forte se aproxima mais dos terrenos consagrados tradicionalmente ao homem, assim como nos tambores das tradições afro brasileiras e indígenas, onde a presença feminina não é muito comum e em alguns casos nem é permitida. O trio é formado por mulheres que somam a força da percussão com a energia do sagrado feminino. O coco de roda é a maior influência rítmica, um estilo de origem discutível, muito conhecido no Nordeste, e disseminado culturalmente através do Quilombo dos Palmares, o nome é por conta do ritmo, inspirado na quebra do coco para retirada de amêndoas e sua forma musical é cantada acompanhada apenas por percussão.
Porém outros ritmos da cultura tradicional como coco rural, da zona da mata norte de Pernambuco, o Baianá alagoano e a Ciranda praieira estão presentes no repertório. Com canções autorais e cantigas da cultura tradicional. Com Rafaella Nepomuceno, voz, alfaia e voz, Kelli Garcia , vocal, ganzá, maracas e tamancos, Mônica Santos, voz, caixa e atabaque.

 

 

Evento no Facebook https://www.facebook.com/events/224978324742346/