Nota do ICArabe sobre as medidas dos Estados Unidos em relação a refugiados e imigrantes

ter, 31/01/2017 - 15:22

O Instituto da Cultura Árabe (ICArabe Brasil) lamenta profundamente a atitude precipitada do sr. Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Sua ordem executiva, proibindo a entrada no país de cidadãs e cidadãos de origem de sete países de maioria muçulmana, além de aprisionar dezenas em cadeias, sem nenhum crime cometido, é uma atitude extremamente grave. Além de desrespeitar a lei e a constituição de seu próprio país, desrespeita os princípios básicos dos direitos humanos. Bastaria ouvir o repúdio dos tribunais do poder judiciário e os gritos da própria sociedade civil norte-americana, além do repúdio manifestado por vários povos e pelos seus respectivos governantes.

A preocupação do nosso Instituto tornou-se ainda maior devido ao triste atentado de ataque armado à mesquita no Quebec (Canadá). Tal atentado, sem dúvida, foi estimulado – e poderá se repetir - pelas medidas adotadas pelo novo presidente dos EUA. O crime cometido naquele espaço religioso resultou em mortes e feridos em números totalmente incompatíveis com o que nós conhecemos do Canadá em relação a acolher e respeitar os diferentes povos e assegurar a diversidade cultural e religiosa de todos.

As medidas adotadas pelo presidente Trump constituem uma afronta a todos os acordos e declarações da ONU, desde o fim da 2ª Guerra Mundia até o presente. É mais grave ainda que o senhor presidente, como representante da maior potência global, ignore a fase crítica que o mundo passa, com suas diversas crises, além da interdependência e interações entre os povos. Tal situação demanda e exige posturas e atitudes justas, democráticas e humanistas de todos os governantes e chefes de Estados.

Temos a certeza de que a sociedade norte-americana, em sua maioria, não aceita e não pactua com estas medidas, por sua gravidade e pelo significado de retrocesso, abrindo-se as portas à barbárie. Esperamos que esta mesma sociedade saiba lidar com esse momento critico e guie seu governante para o caminho da harmonia entre as comunidades e entre os povos.

 

São Paulo, 31 de janeiro de 2017

Diretoria do Instituto da Cultura Árabe