Questão palestina inspira escultura de artista plástico brasileiro

sex, 10/02/2017 - 09:25

 

Muhammad Baker, 38, é artista plástico desde os 12 anos. Descendente de palestinos, acredita que a arte é uma das formas de protestar pela ocupação da Palestina por Israel. “A gente sofre da mesma maneira que a família. Cada um tem uma função e se manifesta da forma que pode quanto a isso. Tem gente que vai para a avenida, tem um blog. Minha manifestação é por meio da escultura”, conta.

Um dos resultados dessa forma de protesto foi a escultura “Resistência”, finalizada por Baker em 2015 (clique aqui e confira as fotos do passo a passo da confecção da escultura). “É um palestino resistente jogando uma pedra, a única forma que se tem, praticamente, de resistência ao exército israelense. É aquilo mesmo: corpo, pedra na mão e resistência”, explica.

A obra é inspirada em seu primo, o palestino-brasileiro Islam Hamed, conhecido em todo o mundo por seu ativismo e pelas diversas prisões por tropas israelenses, que causou indignação e uma campanha de apoio de pessoas de todo o mundo. Em 2015, durante a confecção da escultura, Hamed havia sido preso pela quarta vez após ter sido liberado por conta da pressão internacional (saiba mais aqui) e de uma greve de fome de 100 dias. Baker e sua família também tentavam ajudar o primo. “Não coloquei o nome dele para muitos não acharem que a escultura havia sido feito apenas por conta dele e, não, pela questão palestina”, relata. “Imagine você ver o seu país, a sua vila ser destruída e você não pode fazer nada. Imagine uma pessoa que quer buscar liberdade”, comenta sobre o ativismo do primo, que foi preso pela primeira vez pelas tropas israelenses aos 17 anos.

Baker relata que recebeu críticas pela escultura por pessoas que diziam que a situação da Palestina “não era bem assim”. Para o artista plástico, isso acontece porque há uma distorção, por meio da imprensa internacional, do que se passa na região. “A cobertura é tendenciosa, não é uma coisa nem velada, é totalmente escancarada a distorção da realidade”, critica.

A escultura foi criada ao longo de duas semanas por Baker, que fez primeiramente um esboço no papel e um protótipo no barro antes de começar a estruturar a obra. A venda de suas peças é feita de forma autônoma e divulgada nas redes sociais.

Nos dias 18 e 19 deste mês, o artista promoverá em seu atelier uma oficina temática de modelagem em argila – “Arte Sacra – São Francisco”. O workshop começa às 8h, no dia 18, no Atelier Muhammad Baker - Esculturas Cerâmicas (Estrada dos Sitiantes, 800, Mairiporã)

Mais informações no evento no Facebook 

escultura