Skip to Content

Sessão de filmes árabes debate questão de gênero

Cena do filme Caramel

No dia 12 de junho, o Instituto da Cultura Árabe (ICArabe), por meio do seu Núcleo de Estudos sobre a Mulher Árabe, realiza em parceria com o Cinemulher (cineclube filiado ao Centro Cineclubista de São Paulo – Cecisp) a exibição de dois filmes de seu acervo: “Passo a passo”, de Mehdi Naderi, e “Caramel”, de Nadine Labaki.

O objetivo da atividade, que ocorre no Centro Cineclubista de São Paulo (Rua Augusta, 1.239, conjuntos 13 e 14, São Paulo/SP)  é trazer à luz a questão de gênero na contemporaneidade na região do Oriente Médio. Após as sessões, ocorrerá um debate com Muna Zeyn - presidente do Comitê Nacional Multipartidário das Mulheres, apresentadora dos programas Palavra de Mulher da Rádio USP e da Alltv Mulher e integrante do Conselho da Condição Feminina do Estado de São Paulo -, Soraya Smaili, diretora Cultural e Científica do ICArabe, Maristela Bizarro e Rita Quadros, ambas coordenadoras do Cinemulher.

Criado em setembro de 2009, o Cinemulher se propõe a exibir, refletir e discutir Cinema a partir da perspectiva de gênero. São objetos de exibições filmes que abordem o tema e/ou sejam produzidos por mulheres. “Ao longo de nossas atividades, percebemos que existe uma série de estereótipos e um enorme desconhecimento em relação a mulher árabe. Por isso decidimos fazer essa parceria”, conta Maristela.

Segundo Rita Quadros, a escolha dos filmes se deu de forma conjunta. "Fizemos alguma reuniões com o ICArabe e escolhemos essas duas produções", diz. Ela afirma que as sessões do Cinemulher costumam reunir cerca de 25 pessoas, entretanto, para esta atividade esperam a participação de cerca de 40. "Como é um assunto específico, tende a atrair mais o público", ressalta. Ela lembra ainda que as exibições são abertas para homens e mulheres e que apesar de a presença feminina se dar em maior número, a masculina também é muito bem vinda. "É preciso dialogar", conclui.

Para Muna Zeyn a exibição dos filmes é uma forma de prolongar a reflexão  proposta pelo Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março. “É preciso refletir o universo feminino. Os filmes mostram que as mulheres árabes têm os mesmos valores, desejos e vivem os mesmos conflitos  de todas as mulheres da contemporâneidade”, explica ela.  Ela ressalta a situação das personagens das duas produções, mulheres independentes, provedoras do lar, que ocupam algum espaço público. “ A mulher no oriente ou no ocidente, é mulher. É preciso romper com o preconceito em relação ao desconhecido”, avalia Muna.


As exibições do Cinemulher acontecem todo segundo sábado do mês às 18 horas na sede do Cecisp - Rua Augusta, 1239 - cj. 13/14. São Paulo/SP. Para saber mais visite www.cinemulher.blogspot.com

 

Filmes árabes no Cinemulher


 
Data: 12 de junho de 2010

Horário: 18h30

Local: Centro Cineclubista de São Paulo (Rua Augusta, 1.239, conjuntos 13 e 14, São Paulo/SP)
 
 

PASSO A PASSO
(Ghadam be ghadam,  6´10´´, cores, Irã, 2008, BetaCam)
Direção e roteiro: Mehdi Naderi
Legenda: Português por Sahba R. Rabbani
 

Sinopse: Breve retrato de Shirin Ebadi, advogada iraniana e ativista de direitos humanos. Sua luta pela igualdade de gênero e por reformas políticas em seu país lhe rendeu o Prêmio Nobel da Paz em 2003. 

 

CARAMEL
(Sukkar banat, 96 min, cores, Líbano, 2007, 35 mm e DVD)
Direção: Nadine Labaki
Legenda: Português
Escrito por: Nadine Labaki e Rodney El Haddad

Sinopse:Layale trabalha em um salão de beleza em Beirute, juntamente com outras duas mulheres, Nisrine e Rima. Cada uma tem um problema: Layale está presa em um relacionamento sem futuro com um homem casado; Nisrine não é mais virgem, mas se casará em breve com um homem de família tradicional e religiosa; Rima sente atração por outra mulher. Em meio a isso, Jamale, uma cliente regular do salão, é uma atriz que está preocupada por estar envelhecendo e Rose é uma costureira que devotou sua vida a cuidar de sua irmã mais velha, que tem um desequilíbrio mental, mas encontrou seu primeiro amor. O filme trata de forma delicada da vida dessas cinco mulheres que buscam a felicidade. O nome Caramel é uma referência ao método de depilação usado em diversos países árabes e que consiste na confecção caseira de uma massa feita com açúcar queimado, água e suco de limão. O filme foi selecionado em diversos festivais e ganhou vários prêmios, entre os quais no Festival de Filmes de San Sebastian (Espanha) e no Festival Internacional de Cinema do Oriente Médio (Abu Dhabi). Participou da Seleção Oficial do Festival de Cannes e da Seleção Especial da Caravana Euro-Árabe 2008.
 



Compartilhe e divulgue!
Ana Maria Barbour
Ana Maria Barbour
Ana Maria Barbour é jornalista e editora do ICArabe.

Comentários

Comentar